Arquivo da tag: Chagdud Gonpa Odsal Ling

Parinirvana de Chagdud Tulku Rinpoche

Anúncios

Lama Tsering: Ajustando nossa mente

Realizar a natureza da nossa própria mente, essa é a base do caminho espiritual.
Lama Tsering é professora do budismo Vajrayana, lama residente do templo Chagdud Gonpa Odsal Ling em Cotia/SP.

Lama Tsering Everest: Introdução ao Budismo [áudio do ensinamento em inglês, com tradução]

Introdução ao Budismo – parte 1

Introdução ao Budismo – parte 2

 

Fonte: Chagdud Gonpa Odsal Ling.

Transmissão da Prática de Tara Vermelha ao Vivo de São Paulo

https://budismoemblumenau.files.wordpress.com/2017/08/c4997-res_taravermelha.jpg?w=604

Prática de Tara Vermelha ao vivo com Lama Norbu

Terça-feira, 20h


A sangha de SP sempre se reuniu nas noites de terça-feira para fazer a prática de Tara concisa em português.

Vamos manter essa tradição, agora com transmissão ao vivo pela Internet, para que todos possam participar, onde quer que estejam.

Nesta terça (15/8), teremos a presença de Lama Norbu.

Participe clicando aqui!

Os 37 Pontos da Prática

https://i1.wp.com/dakinimusic.com/wp-content/uploads/2008/09/chagdud-rinpoche1307x1600.jpg

 

S.Em.ª Chagdud Tulku Rinpoche

Para os inúmeros alunos ligados a mim por aspirações prévias e por carma, eu, o tulku chamado Chagdud, um velho afetuoso, inspirado por meu sentimento de amor por vocês, escrevo esta mensagem e a envio, levada pelo cavalo do vento.

Reflitam sobre estes pontos:

1. Vocês invocam a mente iluminada dos rigdzins
das três linhagens com fé, respeito e anseio?

2. Praticando o Darma sagrado, vocês compreendem
a essência deste estado de liberdade, desta
oportunidade tão difícil de alcançar, tão rara
quanto o florir de uma udumbara?

3. Vocês cortam as amarras do apego a todos os
fenômenos impermanentes e ilusórios desta vida?

4. Já que os resultados de suas ações certas e erradas
são infalíveis, vocês procuram praticar a virtude
e se abster das desvirtudes?

5. Já que não há felicidade duradoura nos ciclos de
existência, a sublime atitude da renúncia surge
em sua mente?

6. Já que ouvir os ensinamentos autênticos dissipa
a ignorância, vocês acendem a lâmpada do Darma
muitas e muitas vezes?

7. Já que a mente não é domada apenas ouvindo os
ensinamentos, vocês cortam a especulação
superficial com a contemplação interior?

8. Para que não fiquem presos pelas elaborações
conceituais da audição e contemplação dos
ensinamentos, vocês praticam seguindo os
pontos-chave das instruções da transmissão direta?

9. Sabendo que falta à existência cíclica qualquer outro
refúgio infalível, vocês põem as três fontes sublimes de
refúgio no topo da cabeça?

10. Para encontrar proteção do sofrimento da existência cíclica,
vocês abandonam os atos que prejudicam os outros, e até
mesmo o pensamento de prejudicá-los?

11. Já que não há um ser senciente nos seis reinos
que não tenha sido sua mãe ou seu pai, vocês
meditam com equanimidade sobre a similaridade
e a bondade de todos eles?

12. O seu coração é tomado pela compaixão quando
veem todos os seres que foram seus pais
continuamente criando as causas do sofrimento
e sendo atormentados pelas suas consequências?

13. Sabendo que a causa da felicidade é a virtude,
vocês se alegram do fundo do coração quando
veem a felicidade dos outros?

14. Tendo em vista que a felicidade efêmera não leva
à satisfação duradoura, vocês geram a aspiração
de alcançar felicidade suprema?

15. Examinando a mente, vocês direcionam o corpo,
a fala e a mente para o caminho da virtude?

16. Com as virtudes e as riquezas reunidas, multiplicadas
pelo poder da visualização, vocês fazem oferendas
para acumular mérito?

17. Com o objetivo de erradicar as amarras do apego
ao eu, vocês oferecem o corpo como um presente
aos quatro convidados

18. Uma vez que a natureza fundamental da oferenda
é livre de elaboração, vocês mantêm a visão que
completa a acumulação de sabedoria?

19. Para se livrar da carga pesada de ações perniciosas,
obscurecimentos, faltas e erros, vocês confessam
usando os quatro poderes como antídotos?

20. Vendo Vajrasatva, a união de estado desperto
e vacuidade, como idêntico à sua verdadeira
natureza, vocês dissolvem os padrões de hábitos
sutis no espaço básico?

21. Vocês sabem que o mais sublime, o mais profundo
caminho espiritual é o caminho veloz da Ioga do Guru?

22. Vocês já ouviram falar que é melhor meditar uma
única vez sobre o lama do que meditar durante
muitas eras sobre centenas de deidades?

23. Vocês conseguem tal clareza na visualização que os
atributos do lama − cores, implementos, ornamentos
e mantos − estão vívida e espontaneamente
aparentes, brilhantes e distintos?

24. Os raios de sol da sua fé e puro samaya brilham sobre
a montanha de neve do lama, que é o
reservatório do degelo das bênçãos?

25. Para purificar os obscurecimentos acumulados pelas
ações interdependentes de corpo, fala e mente, vocês
seguem o caminho profundo de receber as quatro
iniciações inúmeras vezes?

26. Para que as bênçãos da linhagem mente a mente
penetrem na sua mente, vocês unem a mente do
lama com a sua?

27. Vocês já encontraram, face a face, o lama supremo,
a união de estado desperto e vacuidade, como
sua verdadeira natureza, totalmente sem esforço
e expansiva?

28. Vocês percebem todos os fenômenos da
pós-meditação − aparência, sons e pensamentos − como
sendo a forma, a fala e a mente iluminada do lama?

29. Vocês entendem que embora todos os fenômenos
do samsara e do nirvana não sejam a sua mente,
eles não existem dissociados dela?

30. Para cortar a densa teia de conceitos,
vocês passaram pelas preliminares de demolir
a cabana da mente comum?

31. Enquanto se empenham na prática principal,
o encontro direto com a verdadeira natureza
como estado desperto, vocês estabelecem
uma atitude livre de esforço, espaçosa e
completamente sem artifícios?

32. Sem meditar deliberadamente, e ainda assim sem
distrações, vocês estão familiarizados com o mais
majestoso e sublime estado de atenção plena?

33. Embora sua visão possa ser tão elevada quanto o
próprio céu, vocês são cuidadosos ao observar as
escolhas morais em sua conduta?

34. Quanto ao próprio objetivo, alcançado atemporal
e espontaneamente, vocês cortaram os elos da
esperança e do medo?

35. Se sentem que querem sentar, vocês permanecem
na cidadela do ser primordial?

36. Se sentem que precisam ir, vocês seguem
o caminho verdadeiro?

37. Se sentem que precisam agir, vocês
geram um grande benefício para os seres?

Por favor, façam um exame cuidadoso para determinar se esses 37 pontos se aplicam diretamente a vocês, em todos os momentos e de todas as maneiras. Quanto a mim, Chagdud, embora esteja sobrecarregado com o peso da idade, com este velho corpo endurecido, esta árvore curtida pelo tempo que enfrenta tempestades de elementos desequilibrados, não estou ferido. Bandos de demônios e outros seres que de outra forma seriam maléficos servem a mim com respeito. Estabeleci o terreno para que os ensinamentos dos grandes segredos sejam desenvolvidos no futuro.

Se eu me for, estou satisfeito por ficar na presença de meu lama, Padma Jungne. Se ficar, estou satisfeito em nutrir o amor de um lama por seus alunos.

Independentemente do que eu tenha feito, estou feliz, um iogue da ilusão, que lhes envia essa mensagem com uma disposição mental vasta e jubilosa. Por favor, contemplem-na com alegria. Que ela fique indelevelmente gravada na sua mente!

Foto: http://aumagic.blogspot.com.br/2015/06/cancao-do-despertar-chagdud-tulku.html

Fonte: Odsal Ling.

Suas certezas são totalmente subjetivas – já pensou nisso?

Por Lama Tsering Everest

Resultado de imagem para lama tsering everest

1 de novembro de 2015

O que é ter sabedoria?

Vamos usar o exemplo de uma criança que tem um amigo imaginário: sabemos que esse amigo não existe, apesar de precisar um lugar à mesa, ser incluído e ter atenção. Agimos de forma generosa, sendo simpáticos e bem-humorados em relação a ele. Sabemos que a verdade desse amigo é uma verdade incidental à idade daquela criança. Assim que ela ficar um pouco mais velha, vai saber que aquele amigo era apenas sua imaginação.

Por enquanto, é difícil para aquela criança compreender que seu amigo é, na verdade, sua mente e não alguém real. Mas nós vamos tentar guiá-la, ajudando-a a crescer e a compreender, aos poucos, a diferença entre o que é verdadeiro e o que é apenas a experiência de sua mente. É essa a tarefa dos grandes mestres em relação a nós. Colocamo-nos sob orientação deles para que nos apresentem à nossa mente e para que possamos compreender a diferença entre a realidade e o que achamos ser a realidade. Nossa percepção da realidade é subjetiva, baseada no “eu” que observa. Somos sujeitos às limitações da percepção que temos sobre nossa vida. E isso não significa, de maneira alguma, que a vida seja limitada. Significa que nosso poder de detectar a vida é que está limitado. Como a criança que não entende que seu amigo não é real.

Sabedoria é ter uma experiência direta da nossa verdadeira natureza, ilimitada, com o uso da Meditação. Atualmente, a maioria de nós está carente de sabedoria. O mundo, como um todo, não funciona a partir da sabedoria. O mundo funciona a partir do ego, do desejo e da raiva –apesar da sabedoria estar sempre presente, e nunca ter se ausentado.

Este é o motivo pelo qual temos que ouvir os ensinamentos e nos aproximar de quem possui sabedoria: para que possamos aprender sobre sabedoria, praticar Meditação sobre sabedoria e, assim, expor nossa sabedoria.

Precisamos expô-la para que possamos ser sabedoria para os demais –para que eles também possam alcançar a realização da verdadeira natureza da mente.

Por não termos essa compreensão total da realidade é que os mestres, os budas e os detentores da linhagem nos ensinam. E a primeira sabedoria que expõem é que a vida é sofrimento. Podemos já ter ouvido isso antes, mas realmente permitir que isso faça parte de nossa compreensão e aplicar essa idéia em nossa vida é uma coisa completamente diferente.

Ao assistir o noticiário da TV, você vê rapidamente que a vida é sofrimento. Há alguns momentos de felicidade e há grandes dificuldades: doença, envelhecimento e morte. A felicidade, quando se apresenta, é muito bem-vinda, é claro, mas não é passível de ser mantida –é impermanente. Em nossa experiência de querer manter os acontecimentos impermanentes do mundo, como a felicidade, por exemplo, nós sofremos um bocado. Só o que queremos é ser felizes e ficamos frustrados por não conseguirmos viver em constante felicidade.

Para que meditemos, é preciso de informação. Ouvir os ensinamentos e contemplá-los. Esses ensinamentos poderão expor muitas idéias e conceitos que você pode nunca ter nem ao menos considerado, como por exemplo:

  • Você já considerou que sua percepção da vida pode ser totalmente subjetiva?
  • Como você espera entender alguma coisa sobre uma outra pessoa, a não ser aquilo que você é capaz de entender?

E mesmo assim, nós julgamos as pessoas todos os dias –as pessoas de quem gostamos e as que não gostamos. E nem percebemos que tudo é a percepção de nossa mente sobre a outra pessoa. É nossa aprovação ou desaprovação de acordo com o que nossa mente consegue compreender. Não tem nada de objetivo nesse julgamento. Conseguimos ver a realidade apenas de uma maneira subjetiva e nem nos damos conta.
Estamos presos na percepção de nossa mente. Nós só vemos aquilo que conseguimos ver –e não o que é verdade.

Outro exemplo: meu cachorro, que se chama Pao Wo, vê todas as pessoas como inimigas. Se você tentar afagá-lo, ele vai mordê-lo. Essa é a percepção que tem da realidade e ele está preso nela. Ele pode se acostumar com algumas pessoas, mas, em um dia ruim, vai mordê-las também, porque repentinamente as vê como inimigas. Essa é a percepção dele. Esse é o carma dele.

Nós somos como o Pao Wo. Somos um pouco mais sofisticados, é verdade, mas também não entendemos a verdade. Estamos presos em nosso carma.

Então temos que ouvir os ensinamentos sobre a verdade. E esses ensinamentos devem ser aplicados à nossa própria mente. Como poderíamos compreender a realidade se não compreendemos nem a nossa própria mente?
Você aplica, então, esses ensinamentos à sua própria mente e depois os contempla: você, diligentemente, põe seu cérebro para funcionar. Ao pensar nos ensinamentos, você terá dúvidas, e ao perguntar ao professor e obter as respostas, você poderá compreender a realidade de uma forma mais ampla.

Fonte: Odasl Ling.